• Download das Edições

Festa Literária

Semana multicultural

Da Redação


A Festa Literária da Biblioteca, a Flibi, apresentou em uma semana, de 23 a 28 de outubro, o que a BPP já oferece ao público regularmente. Realizado no período denominado Semana Nacional do Livro e da Biblioteca, o evento disponibilizou ao público uma variedade de opções culturais, todas sem custo. Mais de 20 escritores participaram de bate­ -papos e/ou lançamentos de livros, teve exibição de longas-metragens (adaptações de obras literárias), apresentações musicais, teatrais e o curso James Joyce e David Foster Wallace: um diá­logo, ministrado pelo professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), escritor e tradutor Caetano Galindo. O homenageado foi o autor Manoel Carlos Karam (leia mais na página 14). Já a curadoria ficou a cargo do escritor e jornalista Marcio Renato dos Santos.

Durante a Flibi, o auditório da BPP, completamente reformado para as comemorações dos 160 anos da Biblioteca, foi palco de bate-papos. A professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Regina Zilberman falou sobre leitura no Brasil, assunto que ela estuda há décadas. O escritor pernambucano Raimundo Carrero festejou os seus 70 anos e fez uma retrospectiva de sua trajetória.

Quem também comentou a pró­pria história profissional foi o jornalista Juca Kfouri, com 50 anos de imprensa — conteúdo do livro recém-publicado Confesso que perdi, que teve sessão de autógrafos na Flibi. Já o jornalista Diego Antonelli citou, e analisou, episódios da História do Paraná, assunto que estuda e tema de um livro que ele publicou recentemente.  

Juca KfouriRaimundo Carrero
O jornalista Juca Kfouri falou sobre seu mais recente livro, Confesso que perdi. E, completando 70 anos, Raimundo Carrero fez uma retrospectiva de sua trajetória literária na Flibi.

O auditório também foi utilizado para o projeto Cine BPP, com exibição dos filmes Budapeste e Hotel Atlântico, adaptações de obras, respectivamente, de Chico Buarque e João Gilberto Noll, Corações sujos, longa-metragem que teve como ponto de partida um livro homônimo de Fernando Morais, e os documentários Uma noite em 67 e José e Pilar.

No hall térreo foi criado um novo espaço, a Arena BPP, que aproximou o público espontâneo da Biblioteca, estimado em 2,5 mil pessoas por dia, dos encontros com autores. Neste local aconteceu o lançamento de Experimentais, livro editado pelo selo Biblioteca Paraná com adaptações em formato de HQ de obras de prosadores paranaenses, seguido de bate­-papo com os desenhistas Rafa Campos, Theo Szczepanski e DW Ribatski.

No mesmo espaço, Miguel Sanches Neto falou sobre o legado do escritor Jamil Snege (1939-2003), o poeta e tradutor Fernando Koproski e o prosador Carlos Machado discutiram os pontos de contato entre prosa, poesia e música e Andressa Barichello, Geraldo Magela e Guido Viaro conversaram a respeito do processo criativo que, em última instância, se materializa em um livro publicado. Na Arena BPP também aconteceu um bate-papo sobre crítica literária e escrita contemporânea, com a participação de Gisele Eberspächer, Julie Fank e Yuri Al’Hanati.

Arena BPPPriscila Prado
O curador da Flibi, Marcio Renato dos Santos, conversou com o poeta Fernando Koproski (à esquerda) e o romancista Carlos Machado (à direita) sobre os pontos de contato entre prosa, poesia e música. A escritora Priscila Prado foi uma das atrações infantis da Festa Literária da Biblioteca (Flibi).

Consolidada como um centro cultural, onde há muito mais do que apenas empréstimos de livro, a BPP teve durante a Flibi edições diá­rias do projeto Música na Biblioteca, que acontece a cada 15 dias. As atra­ ções traduziram o multiculturalismo do evento: da tradicional música brasileira (representada por Sérgio Albach e Regional do Choro e Aline Morena Trio), passando propostas autorais (Chico Salem), experimentalismo (Pecora Loca) até música religiosa e tradicional síria (Alma Síria).

A Flibi também contou com programação voltada ao infantil. As escritoras Célia Cris, Márcia Széliga, Jaqueline Conte, Daniele Sommer e Priscila Prado participaram do tradicional projeto Aventuras Literárias, em que autoras e autores conversam com o público sobre suas experiências literárias. O Projeto Brodway marcou presença durante uma edição do projeto Aventuras Musicais, proposta que tem a finalidade de, por meio da música, apresentar o universo literário às crianças. E o coral infantojuvenil da BPP — o Cantateca — se apresentou no Hall Térreo na manhã do dia 28 de outubro, marcando o encerramento da Flibi, a primeira festa literária realizada por uma biblioteca brasileira. 

Recomendar esta página via e-mail: