Poemas | Yasmin Nigri

Enigma

Onde fios de água 
Atravessam a luz da noite

Mulheres são como cisternas vulneráveis

Danço entre dez palavras que repelem meu peito aberto
Viajo pelo equívoco de outros rostos

No sinistro rumor por onde correm os homens
As crianças são como Deus:

Presenças fechadas na franja de um enigma


Tudo que pode ser dito sobre a luz (excertos)

7.

Gostaria de reter a leveza
Das primeiras vezes

Que vi desenhos 
Em nuvens 

Meteram-nos rodas
Embaixo dos pés

Proibiram-nos
Cruzar grandes rodovias

Sem o auxílio das tais rodas
Como antigamente o faziam artistas e outras pessoas normais

Não tenho automóvel 
Não tenho dinheiro

Na minha cidade
Não costumam dar caronas 

E no Brasil
Não recomendam a uma mulher que viaje sozinha

Então cavo a distância
Com o nó do silêncio na garganta

Os olhos cansados de te não ver 

Às vezes sinto o sexo coçar
E cito o poeta que leva o seu nome

Amo
Como quem se afoga

12.

A mulher oscila porque seu coração é mais perto da cabeça

13.

Terá sobrado alguém 
Para reconhecer
O amor

Quando Ele estender-se do chão
Levantando as mãos?

14.

Deus é uma mulher que descansa em pensamento


YASMIN NIGRI nasceu em 1990. É poeta, artista visual e crítica literária. Formou-se bacharel e é mestre em filosofia pela Universidade Federal Fluminense. Bigornas, seu livro de estreia, foi publicado em 2018 pela Editora 34. Colabora com a revista Caliban e possui um canal no Youtube chamado Alokadostutoriais.
Recomendar esta página via e-mail: