Poema | Ana Farrah

     Ilustração: FP Rodrigues
...

eu tinha pena dos meninos quando diziam 
— deixa, vai? deixa...
eu deixava, sempre deixei
sempre senti muita pena e amor pelos meninos
e tive pena dos homens
quando também não pediram
quando entravam à força eu pensava — deixa...
meu olhar compassivo de quem sente mesmo
imensa boa vontade
e um certo pesar
de quem vê um pobre animalzinho pedindo comida
são inferiores, eu pensava
sempre famintos


ANA FARRAH é gaúcha, nascida em 1981. Autora dos livros Orquídea Trepadeira e Outras Flores Ordinárias (2017) e Os Mortos do Apartamento 21 (2018), também colabora e é curadora da revista virtual Mallarmargens. O poema publicado pelo Cândido faz parte do livro inédito Demônio de Pelúcia.
Recomendar esta página via e-mail: